Ricardo Julião

 

 

55 11 3847-1910 | 3845-8204
.

@ | WEB
.


Comercial | Complexo Administrativo Rio Negro


Corporativo/Comercial | Complexo Madeira


Residencial | MO.R.E.


Institucional | FIAP


Esportiva / Social | Centro Esportivo Bradesco


Corporativo | Max Blue Deutsche Bank


Comercial | Rotisserie


 

.Complexo Admin. Rio Negro | Barueri, SP


 








Ficha Técnica
Complexo Administrativo Rio Negro
Cliente: Redevco do Brasil
Área: 125.000 m²
Escopo: projeto arquitetônico, projeto de interiores, imagens eletrônicas, atendimento técnico à obra
Localização: Alphaville, Barueri, SP

.Complexo Madeira | Barueri, SP


 

















PROJETO REÚNE FUNCIONALIDADE E INOVAÇÃO EM ARQUITETURA ATEMPORAL
Complexo mixed use apresenta duas torres (hoteleira e corporativa) em mais de 55 mil metros quadrados em importante área comercial de Alphaville
O arquiteto Ricardo Julião mostra mais uma vez como é possível unir arquiteturas atemporal e funcional em um único projeto, de aspecto inovador e imponente. Esse é o caso do "Complexo Madeira", um empreendimento de uso misto projetado para localização em uma área movimentada de Alphaville, a Alameda Madeira. O empreendimento também é mais uma prova que o escritório Ricardo Julião Arquitetura e Urbanismo é capaz de atender a vários nichos de mercado, como o de empreendimentos comerciais, hoteleiros, residenciais, corporativos, entre outros.
Em mais de 6,5 mil metros quadrados de terreno, o empreendimento, que teve suas obras iniciadas recentemente, foi projetado para proximidades da entrada de Alphaville, uma área de grande visibilidade para quem chega à região; área de fácil acesso ao comércio local, às agências bancárias, restaurantes, redes de saúde e ensino.
Com o objetivo de facilitar o dia-a-dia profissional de executivos e empresários que atuam na região, o projeto reúne duas torres. A horizontal foi idealizada para abrigar uma unidade da bandeira Blue Tree Hotels, o Blue Tree Premium Alphaville. São seis pavimentos com cerca de 320 apartamentos dos mais diversos tamanhos e perfis, com suítes de até 52 metros quadrados. A torre vertical foi desenvolvida para espaços corporativos e comerciais. É composta por 18 andares escalonados e cada laje tem 1,1 mil metros quadrados de área privativa. Ao todo são 26 pavimentos.
O empreendimento ainda compreende três subsolos, um Centro de Convenções de 900 metros quadrados e pé-direito duplo, um pavimento com áreas de lazer (lojas, cafés, restaurantes) para os hóspedes do hotel, outro pavimento com um boulevard para uso de todos os usuários do Complexo, terraço, dois acessos de entrada ao empreendimento e quase 760 vagas de estacionamento.
Com 105 metros de comprimento de fachada frontal e mais de 90 metros de altura, o grande desafio do projeto de arquitetura foi manter a mesma linguagem arquitetônica entre as duas torres, de forma elegante, porém, de certa forma, monumental, considerando as dimensões do projeto. "Além disso, manter uma arquitetura atemporal – característica de nossos projetos – em harmonia com aspectos contemporâneos, agregando valor ao local de implantação do empreendimento e não 'invadindo' o meio ambiente local, foi um de nossos grandes desafios", conta Ricardo Juliao.
Assim, o projeto da fachada priorizou, acima de tudo, o equilíbrio entre as duas torres. O uso de vidro e placas cimentícias foi proposto para gerar horizontalidade e movimento à fachada em geral. Enquanto a escolha de uma "vela de vidro" (estrutura glazing), que une os dois volumes (horizontal e vertical), confere unidade ao empreendimento.
O término da obra está previsto para o fim de 2014.

Ficha Técnica
Arquitetura: Ricardo Julião Arquitetura e Urbanismo
Localização: Alphaville, Barueri, SP
Área do Terreno: 6.720 m2
Área Total Construída: 55.000 m2
Vagas de Estacionamento: 757
Fundação: Damasco Penna Engenharia Geotécnica
Estrutura: Statura Engenharia e Projetos
Clientes: Alphaville Participações, Grupo Tivoli e Norfin Brasil

.MO.R.E. | São Paulo, SP


 







Ficha Técnica
MO.R.E. - Movimento Residencial Ecológico
Cliente: BKO Engenharia e Comércio
Área: 16.651,00 m²
Número de torres: 01
Tipologias: 135 m² e 182 m²
Escopo: projeto arquitetônico, imagens eletrônicas
Localização: Jardim Marajoara, São Paulo, SP
Incorporação: BKO
Vendas: Fernandez Mera

.FIAP | São Paulo, SP


 




FOTO: Divulgação - Ricardo Julião Arq. e Urb.



FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista
A FIAP é reconhecida por sua excelência educacional e é referência no ensino de graduação e pós-graduação, nas áreas de tecnologia e gestão. Localizada no bairro da Aclimação, na capital paulista, o edifício da faculdade revela um projeto de arquitetura com aspectos contemporâneos, resultado de um trabalho desafiador desenvolvido pelo escritório "Ricardo Julião Arquitetura e Urbanismo", que foi responsável pelo Projeto e Gerenciamento de Obra desse trabalho.
De acordo com Renato Siqueira, um dos sócios do escritório e um dos arquitetos responsáveis pelo projeto, a arquitetura do edifício tem uma estrutura vertical determinada pela limitação do terreno – cuja área é de 1492 m2 –, com um grande declive, além de outras peculiaridades. "Essas condições impostas pelo terreno e nossa opção por verticalizar essa estrutura foram o nosso grande desafio", conta o arquiteto.
Outro grande desafio foi criar espaço suficiente e áreas de circulação capazes de atender ao programa de necessidades e grande fluxo de alunos que circulam simultaneamente pelo prédio nos horários de aula. Por essa razão, também foram providenciados quatro elevadores que atendem aos 12 andares do edifício, assim como escadas de emergência e conjuntos de banheiros (masculinos e femininos) em todos os pavimentos.
A estrutura do edifício é composta por três partes fundamentais: a primeira é formada por três subsolos, uma área que abriga estacionamentos e um auditório com capacidade para mais de 100 pessoas; a segunda é o térreo, composto pelas áreas de recepção e salas de atendimento, diretoria, secretaria, direção e dos professores, além de uma quadra poliesportiva na área externa; e a terceira é constituída pelos 12 pavimentos do edifício que, no total, tem aproximadamente 55 metros de altura.
Cerca de 70% da área total construída, que abrange mais de 8 mil m2, é ocupada por salas de aula e laboratórios. Nas salas de aula valorizou-se a iluminação natural e o conforto, também característico dos laboratórios. "Algumas salas chegam a acomodar mais de 20 computadores, por isso, pensamos também no clima ideal, de 21 graus, proporcionado por um sistema de ar condicionado adequado", lembra Renato. "São todos ambientes muito bem equipados, funcionais e preparados para receber a tecnologia que uma faculdade desse segmento exige", reforça o arquiteto.

FOTOS: Gustavo Ferri

.Centro Esportivo Bradesco | Osasco, SP


 



















Sustentabilidade em sintonia com soluções arquitetônicas
Um dos princípios do arquiteto Ricardo Julião é sempre aplicar soluções sustentáveis e inteligentes em seus projetos e, nesse caso não foi diferente! Alinhado à política de responsabilidade socioambiental da Organização Bradesco, projeto e concepção arquitetônica privilegiaram os mais modernos conceitos de ecoeficiência e preservação de recursos naturais, seguindo os critérios internacionais de sustentabilidade, inclusive a certificação LEED – Leadership in Energy Environmental Design (selo verde). Iluminação natural, sistema de circulação de ar eficiente através de vãos livres, uso de LEDs (lâmpadas mais econômicas) e madeira certificada estão nesse contexto.
A questão da preservação do meio ambiente já aconteceu durante as obras do Centro de Esportes. Por exigência da certificação, por exemplo, os caminhões que transitaram durante a construção tiveram seus pneus lavados com água de reúso antes de saírem da obra, para não sujar as ruas.
Para o aquecimento solar, foram utilizadas 105 unidades de placas solares na cobertura da edificação para o aquecimento da piscina, chuveiros, cozinha e alojamento. Enquanto isso, vãos livres permitem uma excelente circulação de ar interna e favorecem a evaporação do ar quente, dispensando a utilização de ventiladores e ar-condicionado.
Um dos pontos mais importantes nesse contexto é o aproveitamento da água da chuva e a reutilização da água, inclusive, 100% da irrigação do paisagismo e lavagem (geral) são feitas dessa forma. Foi projetada uma caixa (a principal) com capacidade para comportar 111 mil litros de água de reúso, reserva de incêndio e potável. Outras duas caixas, de 120 mil litros cada, foram planejadas: uma totalmente para água de reúso, e outra de retenção, que armazena água quando há excesso de chuva. Além disso, a área do telhado, de quase 6 mil metros quadrados, foi projetada para coletar 100 % da água da chuva.
Quando o assunto é sustentabilidade, Ricardo Julião coloca: “Independente da moda do termo ‘sustentabilidade’ hoje em dia, nós (todos os profissionais do escritório) sempre valorizamos e propomos soluções sustentáveis em nossos projetos, por conta dos princípios e valores que carregamos em toda nossa trajetória profissional”. O arquiteto acrescenta: “E, apesar desses sistemas envolverem altos gastos, é importante que o cliente perceba que esse custo é recompensado a longo prazo, como foi o caso do Bradesco. A natureza agradece!”.
O “Centro de Desenvolvimento Esportivo da ADC Bradesco Esportes e Educação” é uma obra do Bradesco, cujo investimento foi de R$ 24 milhões, em parceria com a Prefeitura Municipal de Osasco, e contou com o apoio do CMDCA - Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Centro Esportivo do Bradesco é inaugurado com projeto sustentável e inovador do arquiteto Ricardo Julião
Referência de Centro Esportivo no Brasil, o “Centro de Desenvolvimento Esportivo da ADC Bradesco Esportes e Educação” foi construído em um terreno de quase 10 mil metros quadrados, reunindo três princípios de excelência em projeto de Ricardo Julião: arquitetura atemporal, soluções sustentáveis e, nesse caso, inclusão social
O Banco Bradesco acaba de inaugurar o “Centro de Desenvolvimento Esportivo da ADC Bradesco Esportes e Educação”, uma das mais modernas instalações e estruturas arquitetônicas do Brasil, com projeto de autoria do arquiteto Ricardo Julião. O trabalho conta com princípios que ressaltam grandes preocupações do arquiteto, que tem mais de 30 anos de história com o escritório “Ricardo Julião Arquitetura e Urbanismo”, como sustentabilidade, arquitetura atemporal e inclusão social.
Localizado em Osasco (Grande SP), o Centro é resultado do Programa Bradesco Esportes e Educação nas modalidades vôlei e basquete e foi planejado para atender meninas de 8 a 18 anos, de todo o país, fornecendo moradia, alimentação, transporte, educação, assistências médica e odontológica, treinamento esportivo, entre outros serviços, além do principal: a revelação de novos talentos no esporte junto a formação profissional dessas jovens.
O Centro foi instalado em um terreno de cerca de 10 mil metros quadrados, cedido pela Prefeitura de Osasco à “ADC Bradesco Esportes e Educação”. O projeto começou a ser desenvolvido em 2007 e valorizou a questão de funcionalidade, sustentabilidade e comodidade para futuras atletas e profissionais que ali trabalham diariamente. A capacidade do Centro é de atender diariamente até 500 atletas e mais 50 profissionais, entre técnicos, professores de educação física, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, médicos e outros.
Nos quase 9 mil metros quadrados de área construída do Centro, Ricardo Julião desenvolveu um projeto composto por: subsolo de 1.790 metros quadrados com estacionamento de 88 vagas, almoxarifado e sala para reciclagem; térreo, com quadras esportivas, piscina, alojamento e diversos ambientes; segundo piso (bloco de apoio) com 425 metros quadrados, que abriga a área administrativa-financeira, salas de psicologia e reuniões; e primeiro piso, com recepção, sala de troféus, auditório e copa.
Em geral, são cinco quadras oficiais cobertas em mais de 3,3 mil metros quadrados – uma dessas foi projetada para jogos oficiais com arquibancada, cuja capacidade é para 250 pessoas –, vestiários, quadra de areia, piscina com quatro raias e 15 metros de comprimento,  academia, sala de fisioterapia, consultório médico, auditório, cozinha semi-industrial, restaurante com capacidade para atender mais de 90 pessoas, lavanderia, salas de informática, de TV e de estudo.
Segundo Ricardo Julião, uma questão importante na concepção do projeto foi que o Centro tivesse “a cara” dos arredores do bairro onde se encontra, o Jardim Cipava, de perfil residencial e familiar. “Obtivemos uma composição harmônica com o entorno. Para isso, optamos por dispor o térreo do Centro em uma área mais profunda do terreno. Com isso e mais outros recursos como cores e formas, conseguimos integrar o Centro ao ambiente”, explica. Essa solução proporcionou também o conforto térmico e isolamento de som ideais para as quadras de basquete e vôlei.
De acordo com a arquiteta do escritório “Ricardo Juliao Arq. e Urb.” e coordenadora do projeto, Juliana Distefano, o alojamento é uma área muito peculiar. Com 435 metros quadrados, ele foi projetado com 14 suítes, de três lugares cada, para comportar 42 pessoas, entre atletas e governantas – 12 dessas são reservadas para 36 atletas vindas de fora de São Paulo. “Foi uma área projetada visando total conforto!”, reforça Juliana. Outra arquiteta que coordenou o projeto, pelo escritório Ricardo Julião, foi Karin Kröner.
O Centro ainda conta com uma área verde de aproximadamente 2,2 mil metros quadrados, por onde passa uma pista de cooper de cerca de 260 metros de extensão, entre uma área ocupada por um projeto de paisagismo, com 250 árvores, assinado por Olair Falcirolli De Camillo. “É importante lembrar que essas árvores são nativas e exigem pouca água, um aspecto que – apesar de parecer apenas mero detalhe – já contribui com o aspecto da sustentabilidade desse projeto”, diz Juliana.

FOTOS: Ricardo Beccari e Egberto Nogueira

.Max Blue Deutsche Bank | São Paulo, SP


 






Ficha Técnica
Equipe: Ricardo Augusto L. Julião, Luis Renato H. Siqueira e Márcia Mourad

.Rotisserie| São Paulo, SP


 






Ficha Técnica
Equipe: Ricardo Augusto L. Julião, Luis Renato H. Siqueira e Márcia Mourad

| voltar | principal |