Königsberger Vannucchi

 


Gianfranco Vannucchi e
Jorge Königsberger

 

55 11 5505-7275
.

@ | WEB
.


Comercial | Edifício Top Towers


Residencial | Edifício Duo Alto de Pinheiros


Múltiplo Uso| Edifício Stadium


Comercial| Edifício Terra Brasilis


Múltiplo Uso| Edifício Universe Life Square


Residencial | Edifício Intersection


Corporativo | Tom Brasil


Corporativo | Sesc Paulista


 

.Edifício Top Towers | São Paulo, SP


 




.

Top Towers
Simplicidade construtiva e complexidade visual
O requerimento para este projeto exigia duas torres para conjuntos comerciais muito econômicos, mas com grande impacto visual por tratar-se de terreno de muita visibilidade.
Solicitava-se também a mais extrema potencialização das áreas privativas de venda em comparação com a área total construída, bem como a melhor relação possível nos pavimentos entre as áreas privativas e as áreas comuns. configurando uma equação imobiliária típica e estrita.
Tecnicamente, os edifícios são de grande simplicidade construtiva, com modulação estrutural precisa e econômica.
Os terraços que caracterizam fortemente as torres não passam de um jogo simples de deslocamentos, e funcionam estruturalmente como extensões em balanço da grande laje retangular de cada pavimento.
Os caixilhos padrão sofrem também deslocamentos em função dos terraços de cada conjunto.
Conceitualmente, o projeto destes edifícios buscou referenciar-se de forma renovada, nas fachadas compostas, paginadas e lúdicas de tantos edifícios dos anos 40, 50 e 60 da região central da Cidade.
Sua linguagem contundente de luzes e sombras alinha-se também com os valores da produção contemporânea mundial em que a Arquitetura volta a ser protagonista expressiva da paisagem construída.
O resultado geral, aparentando complexidade, desenvolveu-se a partir de princípios projetuais, estruturais e modulares de rigorosa simplicidade.

Ficha técnica Top Towers
Área total do terreno: 3.802,49 m²
Área total construída: 25.929,97 m²
Área útil total:
· Torre A: 7422,26 m²
· Torre B: 6993,27 m²
Número de pavimentos:
· Torre A: 24 + 3 subsolos
· Torre B: 21 + 3 subsolos
Número de unidades:
· Torre A: 217 unidades
· Torre B: 206 unidades
Número de vagas: 332 vagas
Desenvolvimento do projeto: 2005 - 2006
Duração das obras: 2007 - 2008

.Duo Alto de Pinheiros | São Paulo, SP


 



.











Duo Alto de Pinheiros
O principal aspecto que merece destaque no Duo Alto de Pinheiros é a sua composição volumétrica inovadora, possíveis por meio de pavimentos tipo intercalados, o que permitiu salas de estar amplas, com pé-direito duplo em cada unidade. Este jogo de justaposição foi realizado por meio do deslocamento da posição da sala entre os pavimentos pares e ímpares, para um lado e para o outro da sala de jantar, esta última com pé-direito simples.
Nos terraços, buscou-se garantir maior integração entre os ambientes interno e externo, e para tanto, a vista não poderia ser obstruída por elementos estruturais. Isto demandou que amplas porções de laje do terraço fossem estruturadas em balanço, o que exigiu que as mesmas fossem apoiadas em empenas estruturais reforçadas em concreto armado. Deste fato, tirou-se inclusive o partido arquitetônico de deixar estas empenas com o concreto rústico aparente, sem revestimento. Este é contrastado com o revestimento em cerâmica de tonalidade quente, que remete à arquitetura residencial do bairro.
As duas torres residenciais foram posicionadas formando um ângulo reto entre si, com o intuito de conformar uma praça triangular na parte frontal do terreno, com dupla função de garantir uma transição confortável entre a rua e o interior do edifício.

Local: Alto de Pinheiros, São Paulo, Brasil
Projeto: 2005
Construção: 2006 - 2008
Área do terreno: 7.607,01m²
Área construída: 55.395,43m²
Programa:
Duas torres residenciais com 27 pavimentos (2 aptos/pav)
108 apartamentos
3 subsolos
480 vagas de garagem
Praça aberta com 1.308,80m²
Equipe:
Projeto: Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados
Autores: Gianfranco Vannucchi e Jorge Königsberger
Colaboradores: Sandra Dellarole, Liliane Caparelli e Carla Estrella

.Edifício Stadium | Alphaville / SP


 


.







Bloco composto de três volumes que abrigará hotel, flats, escritórios, lojas, restaurantes, centro de convenções e demais equipamentos.

.Edifício Terra Brasilis| São Paulo, SP


 








 

.Edifício Universe Life Square | Curitiba, PR


 







<Ver animação>










<ampliar desenhos técnicos>

Memorial descritivo
O edifício Universe Life Square, que se encontra atualmente em construção na cidade de Curitiba, Paraná, destaca-se principalmente pela sua distribuição programática inusitada. Projetos de uso misto são raros no Brasil, especialmente projetos que combinam atividades de comércio e serviços juntamente com habitação, como é o caso deste edifício. O que o torna ainda mais especial é o fato de que a diferenciação de usos ocorre entre seções verticais de uma mesma torre, diferentemente da situação mais comum, em que os diversos usos permanecem segregados em torres diferentes.
Além disso, o edifício se tornará um marco no skyline curitibano: com cerca de 150 metros de altura, será o edifício mais alto da cidade e um dos mais altos de toda a Região Sul do Brasil. Contando com os 3 pavimentos de subsolo, a torre terá, ao todo, 47 pavimentos, cujos usos variam entre galeria comercial, escritórios, centro de convenções, apartamentos tipos simples e loft, além de diversos equipamentos de lazer e mirante panorâmico.
O Universe Life Square localiza-se no bairro do Batel, próximo à zona central de Curitiba, e reflete as características do tecido urbano envoltório: um bairro cosmopolita de uso misto e densidade elevada, mas que proporciona alto nível de qualidade de vida através de ruas intensamente arborizadas e boa ambientação urbana.
O edifício foi implantado em um lote estreito e comprido, entre duas ruas movimentadas e com a face principal voltada para uma rua local mais tranqüila que interliga as duas primeiras. Há um desnível de 4 metros entre as duas extremidades do terreno, permitindo a criação de acessos separados verticalmente para os setores residenciais, comerciais e de escritórios. Na cota mais alta, junto à Rua Comendador Araújo, há uma praça pública terraceada, através da qual é possível acessar o hall do setor residencial e a galeria comercial. Na cota intermediária, voltada para a maior face do lote, há uma segunda praça, parcialmente protegida por uma arcada, onde há um segundo acesso à galeria e também ao centro de convenções e ao hall do setor de escritórios da torre. Na cota mais baixa, junto à Rua Vicente Machado, há o acesso à garagem e serviços no subsolo, além das docas de abastecimento das lojas.
A galeria comercial ocupa os três primeiros pavimentos da torre, com algumas lojas de pé-direito simples e outras com pé-direito duplo e mezanino. No 4º pavimento localiza-se o centro de convenções, composto por quatro salas de reunião modulares e auditório para 180 pessoas, além de lounges internos e externos. O centro de convenções pode tanto ser usado com acesso direto da rua para público externo, ou então com acesso controlado integrado diretamente ao interior da torre. Tanto a galeria quanto o centro de convenções destacam-se do corpo do edifício, amenizando a altura total da torre e estabelecendo uma transição entre as escalas de percepção da cidade e do transeunte.
O setor de escritórios da torre estende-se do 4º ao 22º pavimento, sendo que cada andar possui 11 unidades com área variando entre 40m² e 60m². As unidades são modulares e podem ser integradas de diversas maneiras diferentes, produzindo unidades múltiplas de lay-out flexível. Ocorre ainda um escalonamento sutil de uma parte do volume da torre ao longo deste trecho vertical, o que oferece maior diversidade de área às unidades com pequenas variações entre um pavimento e outro.
O 23º pavimento é destinado a áreas técnicas, e acima deste nível inicia-se o setor residencial, cujas prumadas de elevador e escadas de emergência têm o funcionamento totalmente independente do setor escritórios. O trecho entre o 24º e o 33º pavimentos é ocupado por unidades de apartamentos compactos de 1 ou 2 dormitórios, com doze unidades por pavimento cuja área varia entre 35m² e 70m².
No 34º pavimento há um pavimento destinado ao lazer do condomínio, com piscina, academia, spa, sala de jogos e solarium externo. O último trecho, entre o 35º e o 40º pavimentos, é ocupado por unidades residenciais do tipo loft, com salas de estar de pé-direito duplo e mezaninos, e área variando entre 75m² e 90m².
O topo do edifício complementa as áreas sociais comuns e de lazer do condomínio residencial. Enquanto o 41º pavimento contém áreas técnicas, o 42º é ocupado por salão de festas, bar e terraço de lazer, e o 43º abriga um lounge e mirante panorâmico. Na extremidade do mirante, uma pira brilhará tal qual um farol no céu noturno curitibano.
Definir uma linguagem arquitetônica para este projeto foi um verdadeiro desafio, considerando-se a diversidade de usos conjugadas em uma única torre. Cada uso diferente, além de impor suas próprias restrições e exigências de caráter técnico e funcional, também remete a referências estéticas divergentes no imaginário da população em geral. Há uma imagem típica de como deve ser a aparência de um edifício para morar e de outro para trabalhar, e este é um edifício no qual ambos devem coexistir. A saída a este dilema foi encontrada em uma linguagem de caráter contemporâneo e conciso, expressa através de materiais como vidros de alta performance e painéis compostos de alumínio. A volumetria da torre é marcada por dois prismas justapostos, cada um com tratamentos e aberturas contrastantes na fachada. Além disso, a diferenciação vertical de usos fica expressa na variação do ritmo e da intensidade de aberturas ao longo da altura do edifício, as quais, no entanto, obedecem sempre à rígida modulação estrutural.
O Universe Life Square, enfim, pretende realizar uma contribuição positiva para uma cidade que tradicionalmente destaca-se pela boa qualidade de sua arquitetura e de sua ambiência urbana, como é o caso de Curitiba. Ao mesmo tempo em que se destaca pela sua imponência, o edifício estabelece uma relação harmoniosa com a cidade, expressa através de gestos simbólicos como, por exemplo, a abertura das duas praças semi-públicas que articulam a transição entre o espaço interior e exterior.

Ficha Técnica
Projeto: 2007-2009
Construção: 2009-2010 (em andamento)
Equipe: Jorge Königsberger e Gianfranco Vannucchi (autores); Sandra Dellarole (coordenador geral); Luiz Paulo Eigenheer (coordenador técnico); André Prevedello, Alexandre Hepner, Caio Morenghi, Fernanda Vieira, Margareth Hufnagel (arquitetos)
Programa:
Torre de uso misto, com galeria comercial, centro de convenções, unidades de escritórios, unidades de apartamentos de 1 e 2 dormitórios e lofts, áreas de lazer e mirante panorâmico.
Área do terreno: 3.721,50m²
Área construída total: 46.927,22m²
Nº de pavimentos: 47 (3 subsolos)
Altura total: 150,66m

.Edifício Intersection | São Paulo, SP


 




Edifício Intersection
Brooklin, Vila Olímpia e Itaim resolveram morar juntos e escolheram o Intersection, o mais novo lançamento da Yuny Incorporadora. O conceito desse empreendimento residencial é justamente o encontro – ou a intersecção – do estilo de vida desses bairros nobres, que atraem moradores jovens e novas famílias em busca de localização privilegiada aliada a conforto.
Concebido pelo escritório de arquitetura Königsberger Vannucchi, pelo paisagista Marcelo Novaes e pela decoradora de interiores Patrícia Anastassiadis, o Intersection está localizado na Rua Rosa Gaeta Lázara, próximo a duas importantes avenidas: a Berrini e a dos Bandeirantes. Trata-se de um terreno único, estrategicamente próximo à Marginal do Rio Pinheiros, ao Aeroporto de Congonhas, a shopping centers e ao Parque do Povo. É perfeito para quem trabalha na zona sul e é adepto da mobilidade sustentável da cidade: a região é servida pela Linha Esmeralda da CPTM, pelas ciclofaixas do Rio Pinheiros, da Berrini e da Água Espraiada, e em breve receberá uma extensão da Linha Lilás do Metrô.

Ficha Técnica
Incorporação: Yuny Incorporadora
Projeto arquitetônico: Königsberger Vannucchi
Paisagismo: Marcelo Novaes Arquitetura Paisagística
Decoração de interiores: Anastassiadis Arquitetos
Apartamentos: 68 m2, 91 m2, 136 m2 e 275 m2
Número de pavimentos: 25
Área do terreno: 2.874 m2
Total de unidades: 162

.Tom Brasil | São Paulo, SP


 


























Ficha Técnica
TOM BRASIL
Local: São Paulo, SP
Data do projeto: 2002
Arquitetos: Gianfranco Vanucchi e Jorge Königsberger
Escritório de Arquitetura: Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados S/C Ltda.
Conclusão da obra: 2003
Área: 5.916,12 m²
Mobiliário Giroflex: Cadeiras Girostack empilhável

.Sesc Paulista | São Paulo, SP


 



 

| voltar | principal |