Giuseppe Cafasso

 

 

55 19 3829-4037
.

@ | WEB
.


Residencial | Residência


Residencial | Residência


Residencial | Residência


Residencial | Residência


 

.Residência | Campinas, SP


 




O estilo das vilas italianas é um dos que mais me inspiram, pois ele permite que se combinem elementos rústicos com soluções belas e harmoniosas", afirma.
Harmonia, aliás, é a palavra que melhor traduz a arquitetura de Cafasso. A fluidez das linhas, o aproveitamento intuitivo dos espaços e a fácil interlocução com a natureza ao redor caracterizam os seus trabalhos. "Busco referências na poesia e na música clássica enquanto estou desenvolvendo um novo projeto", confessa o arquiteto profissional e violonista amador.
Mesmo avesso a rótulos, Cafasso concorda que seu estilo esbarra na arquitetura organicista. Madeira de demolição e tijolos aparentes, por exemplo, são presenças quase que obrigatórias, ao lado do farto aproveitamento da luz natural e da água da chuva.
"A arquitetura orgânica é obrigatoriamente sustentável, o que por si só já é ótimo. Fora que ela atende ao crescente desejo dos clientes por soluções que preservem a natureza. O que mais ouço hoje em dia é: 'tem que ser bonito, mas também tem que ser bom para o meio ambiente'".

.Residência | Campinas. SP


 



O estilo das vilas italianas é um dos que mais me inspiram, pois ele permite que se combinem elementos rústicos com soluções belas e harmoniosas", afirma.
Harmonia, aliás, é a palavra que melhor traduz a arquitetura de Cafasso. A fluidez das linhas, o aproveitamento intuitivo dos espaços e a fácil interlocução com a natureza ao redor caracterizam os seus trabalhos. "Busco referências na poesia e na música clássica enquanto estou desenvolvendo um novo projeto", confessa o arquiteto profissional e violonista amador.
Mesmo avesso a rótulos, Cafasso concorda que seu estilo esbarra na arquitetura organicista. Madeira de demolição e tijolos aparentes, por exemplo, são presenças quase que obrigatórias, ao lado do farto aproveitamento da luz natural e da água da chuva.
"A arquitetura orgânica é obrigatoriamente sustentável, o que por si só já é ótimo. Fora que ela atende ao crescente desejo dos clientes por soluções que preservem a natureza. O que mais ouço hoje em dia é: 'tem que ser bonito, mas também tem que ser bom para o meio ambiente'".

.Residência | Campinas, SP


 








O estilo das vilas italianas é um dos que mais me inspiram, pois ele permite que se combinem elementos rústicos com soluções belas e harmoniosas", afirma.
Harmonia, aliás, é a palavra que melhor traduz a arquitetura de Cafasso. A fluidez das linhas, o aproveitamento intuitivo dos espaços e a fácil interlocução com a natureza ao redor caracterizam os seus trabalhos. "Busco referências na poesia e na música clássica enquanto estou desenvolvendo um novo projeto", confessa o arquiteto profissional e violonista amador.
Mesmo avesso a rótulos, Cafasso concorda que seu estilo esbarra na arquitetura organicista. Madeira de demolição e tijolos aparentes, por exemplo, são presenças quase que obrigatórias, ao lado do farto aproveitamento da luz natural e da água da chuva.
"A arquitetura orgânica é obrigatoriamente sustentável, o que por si só já é ótimo. Fora que ela atende ao crescente desejo dos clientes por soluções que preservem a natureza. O que mais ouço hoje em dia é: 'tem que ser bonito, mas também tem que ser bom para o meio ambiente'".

.Residência | Campinas, SP


 






O estilo das vilas italianas é um dos que mais me inspiram, pois ele permite que se combinem elementos rústicos com soluções belas e harmoniosas", afirma.
Harmonia, aliás, é a palavra que melhor traduz a arquitetura de Cafasso. A fluidez das linhas, o aproveitamento intuitivo dos espaços e a fácil interlocução com a natureza ao redor caracterizam os seus trabalhos. "Busco referências na poesia e na música clássica enquanto estou desenvolvendo um novo projeto", confessa o arquiteto profissional e violonista amador.
Mesmo avesso a rótulos, Cafasso concorda que seu estilo esbarra na arquitetura organicista. Madeira de demolição e tijolos aparentes, por exemplo, são presenças quase que obrigatórias, ao lado do farto aproveitamento da luz natural e da água da chuva.
"A arquitetura orgânica é obrigatoriamente sustentável, o que por si só já é ótimo. Fora que ela atende ao crescente desejo dos clientes por soluções que preservem a natureza. O que mais ouço hoje em dia é: 'tem que ser bonito, mas também tem que ser bom para o meio ambiente'".

| voltar | principal |