Gilberto Guedes

 

 

55 83 3222-3175


 

@  |  WEB

 

 

Edifício


Atlantis Home Service | João Pessoa / PB

 

 

 

 

 

HISTÓRICO DO PROJETO
O Atlantis Home Service é um edifício de uso misto com localização privilegiada em terreno de esquina com 960 m², a poucos metros da beira mar da Praia do Cabo Branco em João Pessoa. O Projeto atendeu a uma encomenda do incorporador por uma arquitetura diferenciada com apartamentos de 45 a 60 m², de alto padrão, bem servido de infra-estrutura de lazer e serviços, e recebeu do Instituto de Arquitetos do Brasil, IAB/PB, a premiação de melhor Projeto Multifamiliar no seu lançamento em 2002.

 

DESCRIÇÃO DO PROJETO (obra iniciada em 2002 e concluída em 2005)
A força expressiva da volumetria parte da esquina, onde a lâmina é cortada em suave curva, criando uma praça frontal, e continua com a disposição das unidades em ângulo na fachada norte, para facilitar as visuais do mar. O revestimento em pastilha porcelanizada 5 x 5 cm da ATLAS, acompanha a intenção do Projeto de enfatizar a proximidade da Orla, com uma imagem mais extrovertida, pela diferenciação das cores nos elementos de composição, em contraste com painéis de pedra itacolomy do norte, textura mineral e madeira Ipê.

 

EQUIPE TÉCNICA
Gilberto Guedes (Arquitetura), Fernando Galvão, Mariana Bonates e Christianne Caldas (Colaboradores), Atlantis (Incorporadora e Construtora), Ricardo Junqueira (Fotografia).

Responsáveis Técnicos: Bertrand Araújo e Silva e Frederico Maroja.

 

PRINCIPAIS FORNECEDORES
Destaque principal para a Cerâmica ATLAS (fachadas em pastilhas porcelanizadas), GUERRAL (esquadrias de alumínio e vidro), PAMESA (pisos cerâmicos), ELIZABETH (pisos em porcelanato), ZMG (mármores do acesso e recepção), Assis Souza (marcenaria), MONTEL (mobiliário piscina).

 

MEMÓRIA DESCRITIVA COMPLETA

Este Edifício, situado a poucos metros da beira mar da Praia do Cabo Branco em João Pessoa, recebeu a premiação de melhor projeto multifamiliar em 2002 pelo Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB/PB. O objetivo do empreendimento foi oferecer ao bairro unidades residenciais com plantas de 45 a 60 m2, bem servidas de infra-estrutura de lazer e serviços de apoio, procurando desenvolver soluções alternativas aos modelos do mercado imobiliário, ao abordar a racionalidade da obra, num sentido mais amplo.
O terreno em "L" com 960 m2 é favorecido pela sua localização em esquina onde as avenidas de acesso acompanham sua maior dimensão (40 m) no lado norte, e prolongam as vistas para o mar à leste, recebendo ao longo do ano os ventos dominantes nordestes e sudestes.
A volumetria e o programa de 4.785,00 m² estão distribuídos da seguinte forma: um pavimento semi-enterrado contém o estacionamento e se transforma numa espécie de "podium", acima do nível da rua, apoiando um pilotis com acesos principal, recepção, portaria, lojas de conveniência, serviços de apoio, e pátio interno com garagens complementares.
Acima deste pavimento situam-se 07 pisos contendo 42 apartamentos, com 06 unidades por andar e quatro tipos principais. Esta diferenciação atende à demanda por peças de 2 e 1 dormitórios, como também à intenção de trabalhar as visuais, inclinando as fachadas das unidades que se afastam da esquina de maneira a facilitar as perspectivas para o mar.
No último pavimento, a cobertura tem uma abrigada contendo salão de múltiplo uso, varanda, bar, sauna, wc´s, copa e depósito de apoio, dispostos de forma a liberar a maior extensão da lâmina no sentido leste para funcionar como um grande deck com piscina e solário.
A força expressiva da volumetria parte da esquina, onde a lâmina é cortada em suave curva, aumentando o recuo e criando uma pequena praça frontal. A orientação favorável permitiu tratar as fachadas públicas norte e leste, em contato com as avenidas de forma mais aberta, explorando as vistas para o mar, ao tempo que as fachadas sul e oeste, assinalam uma privacidade em resposta ao âmbito da vizinhança.
Junto à Av. monsenhor Odilon Coutinho, as faces inclinadas das três primeiras unidades de cada planta são agrupadas num só elemento de cor, criando um diferencial de escala e ritmo na composição, que é acentuado pela presença das varandas rasgando alternadamente estes planos.
O uso dos materiais pretende conferir uma maior leveza e variedade de texturas, enfatizando a presença do mar com a caracterização de uma imagem mais extrovertida ao usar materiais da indústria como alumínio, vidro, pastilhas porcelanizadas e aço, em contraste com painéis em pedra artesanal, textura mineral, granito e madeira.
Fugindo um pouco das práticas do mercado, a estrutura privilegia grandes vãos e esbeltez com lajes nervuradas que se apóiam em intervalos de até 7,50 m em pilares que utilizam FCK de 30,50 e 60 MPA, de acordo com as cargas nos pavimentos. Esta solução estrutural, aliada ao recuo das linhas de pilares em relação aos planos das fachadas, confere maior flexibilidade aos usuários no momento de organizar seus espaços, dando mais liberdade ao desenho desta unidade multifamiliar para dialogar com o entorno.

 


| voltar | principal |