Anastasia Arquitetos

 


Johanna Anastasia Cardoso e
Tomás Anastasia Rebelo Horta

 

55 31 3282-1334
.

@ | WEB
.


Residencial | Residência Belvedere


Residencial | Residência São Bento


Residencial | Residência Vale dos Cristais


Residencial | Residência Vila Castela


Hoteleiro/Residencial | Txai Terravista


 

.Residência Belvedere | Belo Horizonte, MG


 














.





















RESIDÊNCIA BELVEDERE
A residência, de 370m² distribuídos em dois pavimentos, está situada em bairro predominantemente residencial na cidade de Belo Horizonte, em um terreno plano de 450 m². O partido arquitetônico busca privilegiar ao máximo a integração entre espaços externos e internos, confundindo seus limites, e, assim, aumentando a sensação de amplitude.
Devido ao tamanho reduzido do terreno, foram praticamente eliminados espaços residuais e de transição (o hall de entrada, por exemplo, não existe, em favor de uma permeabilidade visual com o jardim de entrada, conseguido através de grandes portas pivotantes na fachada frontal).
A planta é retangular, compacta, estendendo até os limites laterais do terreno. A iluminação dos espaços, além das grandes portas nas fachadas frontal e de fundos, é feita através de fechamento em vidro opaco (u-glass, que gera um bom isolamento térmico, devido à camada de ar entre eles) entre as lajes de cobertura, defasadas. Uma cobertura em vidro sobre pergolado de concreto completa a iluminação, através do jardim interno. Assim, a casa é plena de luz natural indireta, zenital, o que, além de evitar a iluminação artificial durante o dia, evita o calor excessivo da luz solar direta. O vento dominante vem da rua, portanto as portas de entrada funcionam como reguladores da velocidade do vento. Totalmente abertas no verão, favorecendo a ventilação cruzada, e fechada no inverno, ou mesmo semi-abertas quando se desejar pouca ventilação.
A residência foi implantada no nível da rua, 1 metro acima do terreno natural, para evitar desníveis e melhorar a acessibilidade das áreas sociais. Torna- se, também, mais protegida da umidade do solo.
É importante lembrar que um dos motivos da implantação compacta no terreno, reduzindo sua "pegada" (footprint), foi aumentar a permeabilidade do terreno, algo necessário nas nossas cidades.
Coletores solares (que atendem a casa e à piscina) ocupam a maior parte da laje de cobertura, o que inviabilizou o uso dessa área, inicialmente cogitado.
Devido aos grandes vãos desejados, apoiados em poucos pontos de fundação, e ao grande balanço da varanda, as paredes superiores são vigas em concreto, feitas com formas ripadas de madeira, deixadas aparentes. A sua estética é derivada da sua opção estrutural, não sendo, portanto, decorativa. Esta ginástica estrutural foi importante, uma vez que pilares de apoio na varanda seriam contrários à intenção de integração entre interior/exterior desejada.
O resultado foi uma residência leve (apesar de sua estética em concreto aparente), iluminada e ventilada, com espaços agradáveis e proporcionais, que realizam o desejo inicial de maior aproveitamento de área externa possível.

.Residência São Bento | Belo Horizonte, MG


 


.



.









RESIDÊNCIA SÃO BENTO
A residência está situada em um lote urbano (não é condomínio fechado) de 15 por 56, em declive. O terreno tem uma orientação leste/ oeste, com a melhor vista para o nascente, e a entrada para o poente. A idéia era conseguir a maior exposição possível da área íntima, no segundo pavimento, para o sol da manhã, e para a melhor vista. Então, a solução foi alongar o pavimento em diagonal sobre o andar inferior, criando um terraço para a área íntima, de forma que todos os quartos estão voltados para o leste, o que não seria possível se todos estivessem lado a lado.
A fachada oeste, voltada para a rua, por necessidade de privacidade (uma vez que nossa intenção era manter o gradil vazado) e proteção solar, tem poucas aberturas, a principal sendo a entrada da casa. Como o terreno é um acentuado declive, o nível térreo está 3 metros abaixo do greid da rua, assim a entrada principal da casa foi recuada a 17 metros do alinhamento do lote, para que conseguíssemos um acesso agradável, e a casa conseguisse uma melhor proporção, além de um paisagismo mais generoso.
Estabelecido o partido, a forma veio naturalmente, com a curva do segundo pavimento como elemento marcante da sua arquitetura. A inclinação da parede reforça a intenção arquitetônica desejada com a forma curva. Numa rua em que todas as residências são fechadas por muro na divisa com o passeio, criamos um momento de "refresco" visual para o transeunte.
A distribuição espacial foi pensada de forma a aproveitar a topografia do terreno. Assim, o espaço sob a casa, foi utilizado para estacionamento de veículos, e lavanderia. No nível térreo está a parte social e de serviços (estar, jantar, cozinha, área de serviço e dependências de empregada, o estar e cozinha integrados com a varanda e piscina.), além de um quarto de hóspedes. No segundo pavimento, quartos e uma sala de estar íntimo.
A estrutura da casa é de concreto armado. Para inclinarmos a parede externa, balanceamos a laje de cobertura 80 cm em relação à laje inferior, amarrando os tijolos a cada 1,50 m com pilaretes de concreto, pois seria muito caro e sobrecarregaria a estrutura fazer esta parede em concreto armado.
A iluminação foi um fator determinante para o projeto. Devido ao maior comprimento do terreno possuir vizinhos dos dois lados, dispúnhamos das duas fachadas menores para iluminar a casa, sendo que a fachada oeste necessitava de fechamento, devido à necessidade de privacidade. Assim foi criada iluminação zenital sobre o pé-direito duplo da sala, para iluminar o "miolo" da casa.
O maior desafio da casa foi o próprio terreno, e seu forte aclive, confinado na sua maior extensão por construções nos dois lados.
O resultado final aponta uma presença marcante e respeitosa no contexto em que está inserido: uma casa extremamente agradável, aonde a forma não compromete o espaço interno, pelo contrário, é conseqüência deste.

Fotos: Gustavo Xavier

.Res. Vale dos Cristais | Belo Horizonte, MG


 

.


















 

.Residência Vila Castela | Nova Lima, MG


 











O terreno aonde se assenta a residência se caracteriza por topografia bastante acidentada, com inclinação média de 40º. Apesar de possuir uma grande extensão frontal, o que favoreceria uma implantação no sentido das curvas de nível, isso não foi possível, devido a uma faixa de domínio da CEMIG (Companhia de Energia de Minas Gerais), que restringia o terreno à sua metade, não proibindo ,entretanto, a construção de acessos, o que de certa forma facilitou os mesmos, pois a faixa “ proibida” estava em cota inferior. Assim, para cumprir o programa de necessidades dos proprietários, não havia outra solução a não ser avançar rumo à pior topografia. O que queríamos a todo custo evitar, e mais que evitar, gerar algum tipo de consciência para as construções vizinhas que viessem a ser construídas a posteriori, eram os famosos “paliteiros”, palafitas que evidenciam a falta de preocupação com o terreno e com o entorno, pois não havia nenhuma restrição de altura no modelo de assentamento.(o que não aconteceu, pois as construções continuaram seguindo este padrão de construção).
Rebaixar a casa em relação à cota da rua foi a solução que nos pareceu mais adequada, apesar do corte necessário para tal. Como precisaríamos de terra, para “consertarmos” o terreno, que em seu talvegue já apresentava sinais de erosão, toda a movimentação de terra foi resolvida no próprio terreno sem bota-fora ou empréstimo. Além de ter gerado uma permeabilidade visual para o pedestre, que pode desfrutar da vista das montanhas, uma vez que, ao invés de muros, o proprietário aceitou deixar apenas uma tela metálica, e o próprio partido da residência gera a privacidade necessária para os moradores.
Outros fatores que nos levaram a este partido foi a posição do sol, uma vez que a fachada de fundos, que passa a ser a nossa fachada “principal”, é toda voltada para o leste. Assim, temos a bela coincidência da exposição ao sol da manhã com a vista, o que nos possibilitou o uso do vidro de maneira extensiva na área social. Para os quartos, inclinamos as paredes junto à fachada lateral, para criar uma certa privacidade em relação à área social, além de voltarmos as esquadrias para a vista e para o nascente.
Para que a casa realmente se integrasse ao terreno, a estrutura deveria ser o elemento definidor de sua estética, uma vez que, devido ao partido adotado, não havia como disfarçar a altura dos pilares, nem era esta nossa intenção. Portanto o desenho da estrutura definiria a casa.
A arquitetura da casa partiu então destes preceitos iniciais, sendo seu resultado fruto de exaustivos estudos em busca da boa solução espacial de seus ambientes, os detalhes adequados para cada situação, as soluções construtivas mais adequadas, e a estética.

This house was built in a sloped site (30 degrees) in the city of Nova Lima, Minas Gerais. The constructed area of the is 650 m2., divided into three floors, the basement, where we have some leisure facilities, the ground floor, where is the living area, and the kitchen, and the first floor, where we located the bedrooms. What generated the form, was its concrete structure, which has a sculptural character. We wanted few columns, so we could preserve the existing site with less interferences. Most of the glass windows and the doors of the house are directed to the best view, the forest, and to the east ,the sunrise.
This project was based in three main concepts – small interference on the site, better use of natural resources, sunlight, and wind ventilation, and integration to the natural context.

.Txai Terravista | Trancoso, BA


 


























Anastassiadis Arquitetos prioriza ambiente natural em projeto do Txai Terravista Trancoso
Natureza resgata qualidade de vida para proporcionar experiência única aos hóspedes
Exclusividade e sofisticação aliadas ao conforto são as principais características do Txai Terravista Trancoso, mais um empreendimento hoteleiro e imobiliário assinado pelo escritório Anastassiadis Arquitetos e que será aberto ao público ainda este ano.
Com um dos melhores campos de golfe da América do Sul, SPA diferenciado, restaurante, bar, piscina, espelho d’água, lounge e área para convenções, o hotel conta com unidades divididas em bangalôs, villas com jardins e outras com terraço em uma área de, aproximadamente, 70 mil m². Para a arquiteta Patricia Anastassiadis, responsável pelos projetos máster plan, arquitetura e arquitetura de interiores do resort e das unidades de apartamentos e bangalôs, a preservação de todo ambiente natural foi a tônica da concepção do hotel, desde sua implantação até os materiais selecionados. “Criamos espaços que exploram o contato com a natureza e resgatam a qualidade de vida. Logo na chegada, os hóspedes se deparam com a paisagem tropical, que possibilita a sensação de inserção com o ambiente. Ao finalizar o percurso, eles são transportados para uma experiência única mediante uma arquitetura rica em elementos com referências locais, privilegiando o visual do campo de golfe, mar e praias”, comentou.
A garantia da privacidade de cada visitante foi concedida a partir da aplicação do conceito de “quadrado”, isto é, para cada área de lazer foi desenvolvida uma história. Toda esta ideia foi trabalhada com o quadrado de Trancoso como referência e representado no local pelo espelho d’água que conecta restaurante, bar, lounge e piscina, proporcionando integração e uma vista singular do entorno.
Para criar este ambiente único, a equipe Anastassiadis Arquitetos utilizou uma mescla de materiais naturais e rústicos, cores alegres e muita marcenaria local. Segundo Patricia, estas escolhas não foram ao acaso, mas sim pensando na concepção de um conforto térmico e estético agregado à arquitetura. “Também fizemos questão de aproveitar a mão de obra existente na região”, ressaltou a arquiteta.

| voltar | principal |